Entrando e saindo do hospital…

Os últimos trinta dias foram repletos de internações, altas, exames, consultas… No momento, estou em casa, ainda atrás de um diagnóstico definitivo para a doença que me acometeu. Estou com alterações relativas às funções hepáticas. Parece que há uma obstrução das vias biliares, e uma parte de alguns elementos, provenientes do intestino, que deveriam ser expelidos acabam sendo enviados de volta para a corrente sanguínea. O pior dos resultados é uma coceira insuportável… Fiquei sem dormir umas duas noites, agora estamos acertando a medicação que já fez reduzir bastante o “prurido” – nome técnico para coceira…

Assim, dei um tempo do noticiário – que normalmente não assisto pela TV -, da militância no PV e de algumas outras atividades. Acho que andei exagerando e a conta veio meio alta. Está na hora de fazer uma reorganização de minhas atividades, definindo prioridades. Já deixei algumas coisas, como falei acima. Além disso, afastei-me do sindicato e tranquei o mestrado por seis meses.

Preciso cuidar da máquina…

Até mesmo porque, quando fiz 50 anos, propus-me a fazer o que fosse necessário para viver mais 50. Até lá, espero ver algumas coisas se concretizando: melhor distribuição de renda no País, principalmente. A meu ver isso passa, necessariamente, pelo combate sério à corrupção. Desvio de dinheiro concentra renda, e priva os mais pobres de serviços públicos essenciais a seu desenvolvimento humano.

A receita, no momento, é: amoxicilina, ácido ursodesoxicólico e colestiramina…